O ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schäuble considera que Mario Draghi foi mal interpretado.

Na sua intervenção mais recente, o presidente do Banco Central Europeu sugeriu que a instituição está pronta para agir, referindo que política orçamental de um país pode desempenhar, em paralelo com a política monetária do BCE, um papel mais ativo na retoma económica.

Foram estas as palavras que alguns especialistas e políticos viram como um discurso contra a austeridade, e que fez com que o euro recuasse para mínimos de um ano e também fez com que os juros soberanos atingissem mínimos históricos em diversos países.

Segundo a Reuters, Schäuble vem por água na fervura e assegura que as palavras de Draghi foram mal interpretadas: «Conheço o Mario Draghi muito bem, creio que ele está a ser mal interpretado», adiantou Schäuble em entrevista ao Passauer Neue Presse.

Para além de referir que respeita a independência do presidente do BCE, o ministro das Finanças alemão disse ainda que não estava contente com os comentários do ex-ministro francês Arnaud Montebourg sobre a «obsessão alemã» com a austeridade.

Recorde-se que França e Itália pedem maior flexibilidade para cumprirem as metas do défice, matéria a que a Alemanha e opõe. Este conflito poderá tornar-se ainda mais duro no sábado, dia de Conselho Europeu extraordinário e que vai tratar da mudança de cadeiras no topo da hierarquia europeia.