O ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schauble, considera que o Banco Central Europeu ficou sem trunfos para o combate às fragilidades da economia da zona euro, embora admita que a instituição está a fazer tudo o que pode para ajudar.

Recorde-se que na semana passada o BCE voltou a cortar a taxa diretora para 0,05%, num novo mínimo histórico, num movimento que surpreendeu os mercados e os analistas. O governador da instituição, Mario Draghi, anunciou ainda o arranque de um programa de compra de ativos.

«Não é bom responsabilizar o banco central pelo crescimento e emprego. O BCE está a fazer o que pode, mas já esgotou as suas ferramentas», disse o responsável, acrescentando que «dinheiro barato também não pode forçar crescimento, se assim fosse não tínhamos problemas atualmente».

Durante um discurso aos deputados no Bundestag, a camara baixa do Parlamento alemão, o responsável disse que violar as regras orçamentais com a expetativa de estimular o crescimento económico «é um erro, não encontraremos o caminho».