O ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schauble, advertiu esta sexta-feira Atenas que os compromissos têm de se manter - sobretudo para se continuar a receber as ajudas do resgate - e que Berlim é «difícil de chantagear».

Numa intervenção num ato organizado por seguradoras, o titular das Finanças e homem forte de Angela Merkel em matéria económica sublinhou que «confiança» e «credibilidade» são «o fundamento para a continuidade da solidariedade europeia».

«Sobre isto há pouco para debater connosco e, além disso, nós somos difíceis de chantagear», adiantou Schauble.

O ministro alemão indicou que se todas as partes mantêm o acordo, Berlim está «disposto a solidarizar-se, mas só nestas condições e em nenhumas outras».

Schauble afirmou-se disposto a falar com Atenas sob estas premissas e recordou que o Governo grego do primeiro-ministro Alexis Tsipras não dispõe de muito tempo para negociar, pois o programa de resgate termina em fevereiro.