A empresa Whitestar, que pertence à Arrow Global, que terá Maria Luís Albuquerque como administradora não executiva, continua a analisar a carteira de crédito e imóveis do Banif que ficou na sociedade pública Oitante com vista a eventual compra.

Segundo disse à agência Lusa fonte ligada ao processo, a empresa de gestão de ativos de risco, nomeadamente de crédito malparado, Whitestar, está a fazer a análise desse portfólio e há alguns dias estiveram mesmo técnicos da empresa nas instalações da Oitante a desenvolver esse trabalho 'in loco'.

A Whitestar está a analisar a carteira de crédito vencido e imóveis e, caso considere que os ativos se revelem interessantes, será uma outra entidade a fazer a sua aquisição, a quem caberá fazer a proposta vinculativa à Oitante.

Contactada pela agência Lusa, fonte oficial da Whitestar não comenta este assunto em específico, mas esclarece que a empresa, quem em Portugal emprega 500 pessoas, não detém carteira de crédito, mas faz a sua análise e gestão para entidades externas.

A Oitante pertence ao Fundo de Resolução, que está sob alçada do Banco de Portugal, a quem a Lusa pediu esclarecimentos, mas que recusou comentar este assunto.

Em janeiro a Oitante - a sociedade-veículo criada aquando da resolução do Banif e que ficou com ativos do banco - colocou à venda um conjunto de créditos e imóveis que eram do Banif e que estão avaliados em cerca de 1.500 milhões de euros.

Este processo é a continuação do que já existia no Banif antes da resolução, tendo então a administração liderada por Jorge Tomé contratado a empresa espanhola N+1 para assessorar o banco nessa alienação, nomeadamente contactando investidores interessados.

No ano passado, a Arrow Global adquiriu a Whitestar por 48 milhões de euros à Carval Investors.

A Whitestar, que operava no mercado nacional desde 2007, pertenceu ao falido Lehman Brothers e esteve depois sob gestão da consultora Pricewaterhousecoopers (PwC) até 2014, quando foi vendida à Carval.

Entretanto, a propósito da ida da Ex-ministra das Finanças Maria Luís Albuquerque para a Arrow Global, o PS apresentou um requerimento na comissão de inquérito ao Banif com vista à audição de dois gestores da sociedade Whitestar, comprada pela Arrow.

No texto, a que a agência noticiosa teve acesso, e hoje entregue ao presidente da comissão parlamentar de inquérito, o PS começa por lembrar que em 2014 a Whitestar comprou ao Banif "cerca de 300 milhões de euros de crédito malparado", sendo que essa mesma empresa "foi contratada para avaliar a carteira de crédito em risco e imóveis da Oitante", sociedade veículo que ficou com ativos do Banif que o Santander não adquiriu.

John Calvão e João Ferreira Marques, "na qualidade de gestores da sociedade Whitestar Asset Solutions", são os novos nomes que o PS quer ouvir na comissão de inquérito.

Maria Luís Albuquerque foi nomeada para administradora não executiva do Arrow Global, grupo britânico de gestão de crédito que em Portugal detém uma carteira de crédito de 5,5 mil milhões de euros, tendo entre os clientes os bancos Banif, Millennium BCP, Montepio, Santander, Banco Popular, entre outros.

A deputada do PSD e ex-ministra das Finanças Maria Luís Albuquerque já pediu entretanto à subcomissão de ética que avalie se existe alguma incompatibilidade entre a sua contratação pela Arrow Global com os atuais e antigos cargos políticos.