A transportadora aérea Portuguesa (TAP) retoma os voos regulares e diretos entre Lisboa e a capital da Guiné-Bissau a partir do dia 1 de dezembro próximo, anunciou hoje o Governo de Bissau, em comunicado do conselho de ministros.

A retoma dos voos da TAP para Bissau foi comunicada ao coletivo governamental pelo secretário de Estado dos Transportes e Comunicações guineense, Fidélis Forbs que deu conta de diligências em curso junto da transportadora aérea portuguesa.

A TAP deixou de voar para a Guiné-Bissau desde que no dia 10 de dezembro de 2012 uma tripulação da companhia portuguesa foi obrigada a transportar para Lisboa, a partir do aeroporto de Bissau, 74 passageiros nacionais da Síria, mas que viajavam com documentação que se revelara falsa.

Sem ter as devidas explicações e considerando que não existiam as condições de segurança, a TAP decidiu pura e simplesmente, a 11 de dezembro de 2013, pela suspensão das suas operações para a Guiné-Bissau evocando "grave quebra de segurança" no aeroporto internacional Osvaldo Vieira.

A ligação aérea entre Bissau e Lisboa, passando por Casablanca, em Marrocos, com uma escala de várias horas, passou a ser feita pela companhia Royal Air Maroc, com voos todos os dias com exceção às quartas e sextas-feiras.

Em julho de 2014, Fernando Pinto, presidente da TAP, anunciou a retoma da rota em outubro desse ano, o que nunca aconteceu,

Em novembro de 2014, a companhia privada portuguesa, EuroAtlantic iniciou as suas operações regulares, ligando, com voos diretos, Lisboa e Bissau, inicialmente com um voo semanal e mas tarde aumentado para dois.