A Ryanair vai passar a fazer quatro novas ligações por semana do Porto para Milão Malpensa, em Itália, a partir de setembro, uma rota que a TAP vai suspender no final do mês.

O anúncio foi feito na Câmara do Porto pelo diretor de rotas da Ryanair, Niall O’Connor, que assim respondeu ao “desafio” lançado pelo presidente da autarquia, Rui Moreira.

“Acreditávamos que havia um mercado, que valia a pena. Para nós, Malpensa era muito importante, é uma matéria referida pela indústria do calçado e têxtil, e também por muitos emigrantes, [porque o aeroporto de Malpensa] serve uma parte da nossa emigração na Suíça”, sustentou ao autarca do Porto, que classificou esta ligação como “absolutamente crucial do ponto de vista industrial e da atratividade da cidade”.

O independente Rui Moreira referiu ter feito o “desafio à Ryanair de fazer contas e olhar para esta oportunidade que tinha sido aberta, porque outras companhias entenderam não fazer o serviço”.

“Ficamos muito satisfeitos. Como tinha dito antes, o mercado há de resolver o défice que temos temporariamente e [esta ligação direta a Malpensa] começar em setembro é excelente, é a altura em que a indústria começa a tratar das vendas para 2017”.

Em janeiro, a TAP anunciou a suspensão a partir do dia 27 de quatro rotas do Porto para Barcelona, Milão (Malpensa), Bruxelas e Roma, e outras cinco de Lisboa com ligação a diferentes cidades europeias.

Rui Moreira tem criticado a estratégia da TAP para o Porto, acusando-a de ter em curso uma estratégia para “destruir o aeroporto Francisco Sá Carneiro”, com vista a construir em Lisboa “um novo aeroporto e uma nova ponte”.

Esta ligação para Malpensa, destacou, “era uma das preocupações da região” e conseguir quatro ligações por semana “é uma notícia fantástica”.

Questionado sobre se esta nova rota da Ryanair é a confirmação de que o Porto és estratégico e rentável para as companhias aéreas, Moreira foi perentório, afirmando “tem de ser”. “Demonstra-se aqui que é, há aqui uma oportunidade”.

O autarca do Porto voltou a afirmar que a Câmara, nem no tempo de Rui Rio nem agora, “nunca subsidiou nem a Ryanair nem nenhuma companhia” e “nem pode, nem esta nem nenhuma outra câmara, nem o Estado”.

“Aquilo que houve no passado e sei que este Governo está a preparar mais uma vez é uma política de incentivos de rotas, Essa política aplicava-se a todos os aeroportos nacionais e companhias aéreas, Aliás, suspeito que com as novas rotas que a TAP está a abrir de Lisboa, a TAP vai ser um grande candidato a esses subsídios do Turismo de Portugal, mas por respeito à Ryanair não gostaria de falar disso”

O responsável da companhia aérea ‘low cost’ esclareceu hoje que estas quatro ligações semanais para Milão Malpensa juntam-se às 11 semanais anunciadas em fevereiro do Porto para Milão Bergamo, a partir de outubro.