O presidente executivo da Volkswagen, Martin Winterkorn, e outro administrador da fabricante automóvel, foram formalmente acusado no âmbito do processo de manipulação de emissões de gases poluentes.

O Ministério Público, anunciou em comunicado citado pela Reuters, que a acusação se centra “em provas concretas suficientes” de que a Volkswagen poderá ter ocultado a manipulação de emissões antes de 22 Setembro de 2015, quando o fabricante de carros admitiu publicamente o erro.

No Estados Unidos, o grupo alemão chegou em abril a acordo com as autoridades para indemnizar com 4.400 euros cada cliente com veículos com filtros de emissões manipulados.

Em Portugal, há uma ação judicial contra a Volkswagen, na sequência do escândalo das emissões, interposta por um português. Nelson Matos, morador em Lisboa, acusa o concessionário importador das marcas de não ter contribuído para encontrar uma solução que pudesse “minimizar o facto de ter sido enganado pela marca”, revelou em março o Económico.