Os proprietários de automóveis Audi em Portugal podem saber no 'site' da marca se o veículo tem o 'software' que provocou um escândalo de emissões poluentes na Volkswagen, informou esta quinta-feiea a Audi Portugal.

Em comunicado hoje emitido, a Siva, representante da marca em Portugal, que pertence ao grupo Volkswagen, informou que os seus clientes "já podem consultar, no 'site' da marca, informação sobre o seu veículo e ficar a saber se ele foi afetado pelo 'software' que causa discrepâncias nas emissões de óxido do azoto durante os testes de dinamómetro".

Para isso, os proprietários destes veículos devem inserir o número do chassis numa plataforma disponibilizada no 'site' www.audi.pt ou então pedir esta informação através do número telefónico 800308030.

A empresa refere que os clientes "serão oportunamente informados sobre as soluções a serem adaptadas nos seus veículos" e acrescenta que os modelos afetados são os Audi com os motores TDI de 1.6 litros ou 2.0 litros Diesel do tipo EA 189 e certificados de acordo com a norma padrão europeia de emissões EU5, garantindo que "estes veículos continuam a poder circular em condições tecnicamente seguras, sem quaisquer restrições".


Além disso, a Audi indica que os motores TDI de 1.6 litros e 2.0 litros Diesel certificados de acordo com a nova norma de emissões EU6 não são afetados, bem como os motores V6 e V8 TDI, independentemente de estarem certificados de acordo com a norma EU5 ou EU6.

A SIVA, que representa o grupo Volkswagen em Portugal, colocou no 'site' da Volkswagen e da Skoda um sistema que, através da identificação do número de chassis, permite aos proprietários saber se o seu carro tem ou não o 'kit' manipulador de emissões de gases poluentes.

A Agência de Proteção do Meio Ambiente dos Estados Unidos acusou no passado dia 18 de setembro a Volkswagen de falsear o desempenho dos motores em termos de emissões de gases poluentes através de um 'software' incorporado em veículos a diesel.

Dias depois, a Volkswagen reconheceu ter falseado os dados e anunciou que mais de 11 milhões de carros a gasóleo em todo o mundo têm equipamento que permite alterar o desempenho dos motores em termos de emissões para a atmosfera.