O coordenador da Comissão de Trabalhadores da Autoeuropa, António Chora, afirmou esta segunda-feira que os trabalhadores da fábrica de Palmela continuam com a expectativa de começar a fabricar um novo modelo da Volkswagen a partir do segundo semestre de 2017.

"A informação que temos é a mesma que tínhamos há algum tempo, segundo a qual está prevista a vinda de um novo modelo para a fábrica de Palmela, a partir do final do primeiro semestre de 2017", disse, lembrando que a Volkswagen já confirmou a intenção de prosseguir com o investimento em curso na Autoeuropa, que poderá atingir os 677 milhões de euros.

"É um investimento que deverá criar 500 novos postos de trabalho, mas que até podem ser mais, se as coisas correrem bem e a Volkswagen conseguir ultrapassar as dificuldades", acrescentou António Chora, aludindo às dificuldades com que se depara o grupo alemão, devido à utilização de um dispositivo fraudulento instalado em milhões de viaturas para reduzir as emissões de gases durante os testes de medição dos níveis de poluição.

António Chora falava à Lusa após a habitual reunião da Comissão de Trabalhadores das segundas-feiras, na qual foram abordadas algumas questões relacionadas com o momento atual e com o processo negocial para o novo acordo de empresa na Autoeuropa, dado que o anterior caducou no passado dia 30 de setembro.

Apesar de tudo, a Comissão de Trabalhadores considera que seria prematuro fazer qualquer previsão sobre eventuais consequências desta crise da Volkswagen no que respeita a salários e regalias dos trabalhadores da Autoeuropa.

"Estou apreensivo, mas tranquilo", disse António Chora, convicto de que se trata de um sentimento comum à grande maioria dos trabalhadores da fábrica de automóveis de Palmela.