A Comissão de Trabalhadores (CT) da Volkswagen Autoeuropa e a administração da fábrica chegaram a acordo para reduzir a produção para apenas um turno diário já a partir de Setembro, noticia o Económico citando fontes ligadas à empresa.

“O acordo reflete os objetivos que nos (CT) propusemos, que era de cumprir com a produção planeada e ao mesmo tempo manter o rendimento dos trabalhadores”, refere fonte ligada ao processo.

No passado dia 28 de Abril, a CT realizou um plenário para informar os trabalhadores da proposta da administração a qual pretendia a partir de setembro trabalhar a um turno fixo (segunda a sábado), com uma folga ao domingo e outra rotativa durante a semana. A mesma proposta garantia a compensação do subsídio de turno de 15% a todos os trabalhadores envolvidos (áreas da montagem e pintura).

No entanto, a CT comprometeu-se a “lutar por um turno de (segunda a sexta feira), manter o subsídio de turno através da garantia de se produzir todos as encomendas que fossem necessárias com recurso ao trabalho extraordinário". Este trabalho suplementar será pago segundo a Contratação Coletiva, situação que permite aos trabalhadores não perder rendimento.

Depois de duas semanas de negociações “difíceis em que as propostas apresentadas eram muito diferentes”, refere a mesma fonte, ontem foi encontrada uma solução que reflete os objetivos propostos pela comissão.

Recorde-se que a administração da VW Autoeuropa comprometeu-se através do acordo laboral a não fazer qualquer despedimento coletivo até Setembro deste ano.

Segundo o Económico, na próxima semana, estão agendados dois plenários para informar em detalhe os trabalhadores sobre o conteúdo do acordo.

A Autoeuropa justifica esta redução de turno com a diminuição da procura dos modelos que são fabricados na fábrica de Palmela e a necessidade de preparar a unidade para receber um novo modelo. A empresa liderada por Miguel Sanches está a realizar um investimento de 677 milhões de euros para implementar a nova plataforma de produção na fábrica.