O investimento captado pelos vistos gold em agosto recuou 17% face ao mês anterior, para 50,8 milhões de euros, de acordo com os dados estatísticos divulgados pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF).

Entre janeiro e agosto, o investimento através das autorizações de residência para a atividade de investimento (ARI) atingiu os 622,3 milhões de euros.

Em termos mensais, no mês de agosto foram captados 50,8 milhões euros através dos vistos dourados, menos 17% do que em julho (61,6 milhões de euros). Em junho, o investimento angariado pelos vistos gold tinha atingido os 98.893.760 euros.

Do total do investimento registado no mês passado, 46,7 milhões de euros resultou de ARI atribuídas mediante o requisito da compra de bens imóveis e 4,2 milhões de euros pela transferência de capital.

Em agosto fora atribuídos 80 vistos gold, dos quais 76 para a compra de imóveis e quatro por transferência de capital, segundo os dados do SEF.

Um ano depois da entrada das novas regras de atribuição deste tipo de vistos, apenas um foi concedido mediante os novos requisitos - reabilitação urbana -, o que aconteceu durante o mês de julho.

Em termos acumulados - desde que os vistos começaram a ser atribuídos, a 08 de outubro de 2012, até agosto último -, o investimento total captado com as ARI atingiu os 2.315.058.199,27 euros, dos quais 2,1 milhões de euros em aquisição de bens imóveis e 222,8 milhões euros por transferência de capital.

Desde que os vistos gold entraram em vigor foram atribuídos 3.795 ARI: dois em 2012; 494 em 2013; 1.526 em 2014; 766 em 2015 e 1007 até agosto.

Em termos acumulados, desde a sua criação até final de julho, foram concedidos 3.585 vistos pelo requisito da aquisição de bens imóveis, 204 por transferência de capital, e seis pela criação de, pelo menos, 10 postos de trabalho.

A China lidera a lista de ARI atribuídas (2.835 até agosto, seguida do Brasil (197), Rússia (133), África do Sul (124) e Líbano (60).

As novas regras para a obtenção de vistos gold, que alargam os critérios de investimento para cidadãos fora da União Europeia a áreas como reabilitação urbana e ciência, entre outros, entraram em vigor a 3 de setembro de 2015.

Até agosto, foram atribuídas 1.584 Autorizações de Residência a familiares reagrupados.

No ano passado, o investimento resultante dos vistos gold caiu para metade, face a 2014, para cerca de 466 milhões de euros.