O ministro da Economia, António Pires de Lima, disse hoje que 2013 está a ser um ano «muito positivo» para o setor turístico, referindo que nos últimos meses a atividade turística em Portugal cresceu de cerca de 10%.

«Provavelmente, o último trimestre é o trimestre de maior crescimento nos últimos anos em termos de atividade turística», disse o ministro, que falava aos jornalistas no final de uma visita à fábrica da Vista Alegre, do grupo Visabeira, em Ílhavo, citado pela Lusa.

O governante adiantou que nos últimos tempos se vinha a notar uma dinâmica das visitas dos turistas internacionais «muito positiva», acrescentando que Portugal está «a aproveitar melhor» do que outros países, o que se está a passar no Egito e na Turquia.

«Espero que esta tendência se possa confirmar e consolidar ao longo do segundo semestre de 2013», referiu Pires de Lima, considerando «absolutamente decisiva e determinante» para a recuperação económica, esta evolução da atividade turística.

O ministro destacou ainda o dinamismo do grupo Visabeira, defendendo que a recuperação económica do País vive sobretudo de empresas portuguesas «que marcam a diferença».

«A luz ao fundo do túnel não vem de fora, não vem de longe, não vem do Estado. Vem sobretudo dos exemplos das boas empresas que temos em Portugal», disse Pires de Lima, assumindo não ter vergonha de ser visto e percecionado como «o ministro das empresas, dos empresários dos gestores e dos colaboradores e trabalhadores das empresas».

O governante considerou a Visabeira como um exemplo de dinamismo, de inovação e de capacidade empresarial que Portugal precisa neste momento, salientando que a empresa se deu ao trabalho de recuperar a Vista Alegre, uma empresa centenária que, atualmente, exporta mais de 50% da sua atividade e que cresceu 30% desde 2009.

Além disso, realçou o ministro, a empresa prepara-se para investir na área do turismo, com a construção de um hotel, no âmbito de um projeto de turismo que envolve um investimento de 14,4 milhões de euros.

O hotel de cinco estrelas, com 82 quartos, resulta da reabilitação e restauro do Palácio da Vista Alegre e deverá estar concluído no primeiro semestre de 2015.

Questionado pelos jornalistas, o ministro da Economia não confirmou a redução do IVA na restauração dos 23% para os 13%, afirmando que irá manter o silêncio público até que se conheça a proposta do Orçamento do Estado para 2014.

«Toda a gente sabe a minha opinião sobre esta matéria», limitou-se a dizer o ministro, adiantando ser a mesma pessoa desde que assumiu funções governativas.