O Instituto da Vinha e do Vinho (IVV) estima, devido ao clima desfavorável, uma queda de 20% na produção da campanha vitivinícola que terminou em julho, face à anterior, para um volume de 5,6 milhões de hectolitros.

Em comunicado hoje divulgado, o instituto explica que o clima foi a “causa principal” desta quebra, em particular no início do ciclo vegetativo da vinha, e que o Algarve foi a única região a manter a produção. Lisboa, Trás-os-Montes, Douro e Açores foram as regiões mais afetadas com uma quebra de produção superior a 25%.

“Se, por um lado, a meteorologia condicionou a produção de forma negativa, por outro está a favorecer a maturação das uvas”, refere o IVV naquele comunicado, acrescentando esperar uma “boa” qualidade dos vinhos na colheita deste ano, apesar da expectativa de quebra nos valores da produção.