Arménio Carlos, líder da CGTP, disse na tvi24 que os mesmos que estão a obrigar os jovens portugueses a emigrar vão, agora, penalizar os que cá ficam. O líder sindical comentava a anexação dos valores das reformas a critérios económicos e demográficos.



Arménio Carlos acredita que é o Governo que está a destruir a economia, insistindo na ideia que está em marcha um retrocesso social inimaginável há uns anos atrás.

Para o secretário-geral da CGTP isso significa o aumento da idade da reforma ou uma penalização do valor.

Segundo o documento agora revelado, o cálculo das pensões de reforma da Caixa Geral de Aposentações (CGA) e da Segurança Social em 2015 vai passar a integrar critérios demográficos e económicos para travar a despesa.

O documento refere que a reforma das pensões deve incluir medidas de curto prazo e prevê que as novas medidas vão entrar em vigor no próximo ano e serão aplicadas a todas as pensões, mesmo aquelas que já se encontram em pagamento. Além disso, segundo os dados divulgados na imprensa, deverá ainda ser fixada uma cláusula de salvaguarda que impedirá a redução das reformas.

«Isto é um novo ataque à segurança social e às pensões dos trabalhadores e significa que ou se aumenta o número de anos para a idade de reforma ou há uma penalização do valor da contribuição», disse à Lusa o secretário-geral da CGTP, Arménio Carlos.

O líder sindical considera que os trabalhadores «vão saber quando começam a ter uma contribuição definida, mas a idade de reforma vai ser indefinida» e alerta para o problema de sustentabilidade.

«Ou se mudam de políticas ou põem-se em causa a sustentabilidade da segurança social. O Governo primeiro destrói a economia, a liberdade e as garantias dos trabalhadores e agora vem às pensões e à idade de reforma», disse.

Tendo em conta que a nova fórmula de cálculo se baseia em critérios demográficos e na economia, Arménio Carlos alerta que para as previsões da emigração e da quebra de ativos de 17% estimada até 2060, assim como da economia, que deverá estagnar.