O Banco de Portugal assegurou, este sábado, que está a trabalhar para garantir que o futuro conselho de administração do Novo Banco vai permitir concretizar o projeto de desenvolvimento e a criação de valor para a instituição financeira. O banco central reagiu à demissão da equipa de Vítor Bento, agradecendo aos que saem, mas não confirma ainda os nomes da nova administração.

Num comunicado sobre a mudança na administração do Novo Banco, o supervisor bancário «agradece a todos os elementos do conselho de administração em funções a disponibilidade demonstrada para assegurar a estabilidade da instituição».

O Banco de Portugal refere depois que Vítor Bento (presidente), José Honório (vice-presidente) e João Moreira Rato (administrador financeiro) tinham sido nomeados como administradores do BES «com um projeto que foi invalidado pela resolução do banco. Ainda assim, aceitaram continuar na administração do Novo Banco, apesar do diferente mandato».

O Banco de Portugal insiste que tem como «prioridade salvaguardar o interesse dos clientes do Novo Banco, dos seus trabalhadores e do sistema financeiro». O banco central considera essencial que «num prazo tão curto quanto razoavelmente exequível, o Novo Banco passe a contar com uma estrutura acionista estável».

O novo conselho de administração do Novo Banco «será conhecido logo que concluídos os procedimentos prévios exigíveis». Sem avançar nomes, o Banco de Portugal confirma que a nova equipa «garantirá a concretização do projeto de desenvolvimento e criação de valor para o banco».

O supervisor não avança, para já, com os nomes dos futuros gestores do Novo Banco, nem apresenta prazos para a sua entrada em funções, na sequência da decisão tomada por Vítor Bento (presidente), José Honório (vice-presidente) e João Moreira Rato (administrador financeiro) de renunciar ao mandato de administradores do Novo Banco, dois meses depois de terem entrado em funções.