As medidas anunciadas na quinta-feira pelo Governo não são suficientes para cobrir o problema orçamental aberto com a inconstitucionalidade do diploma da convergência de pensões, de 388 milhões de euros. Segundo o Jornal de Negócios e o Público, os dados disponíveis indicam que dificilmente a contribuição da CES tapará o buraco deixado pelo chumbo do Constitucional.

Com os dados disponíveis até agora, o impacto da nova CES será, no máximo, de 120,7 milhões de euros.

Os governantes tiveram o cuidado de não referir explicitamente quanto é que vale o alargamento da CES, mas em resposta a uma última pergunta o ministro Marques Guedes respondeu que os novos cortes garantiam «o remanescente» ou «o diferencial», ou seja, 228 milhões de euros.

O Público questionou o Ministério das Finanças sobre a disparidade dos números, mas fonte oficial respondeu que «de momento, não é possível mais esclarecimentos», lembrando que os detalhes só se conhecerão após a publicação da medida.