O ministro das Finanças da Alemanha, Wolfgang Schaeuble, mantém o pelouro no novo Governo de coligação liderado por Angela Merkel, informou a chanceler alemã.

Merkel também já disse que Ursula Von der Leyen iria ser a primeira mulher a ocupar a pasta da Defesa. O atual ministro da Defesa irá para a pasta do Interior (Administração Interna).

A pasta das Finanças é das mais importantes do executivo de Angela Merkel, tendo em conta as reformas a serem levadas a cabo a propósito da crise das dívidas soberanas na zona euro.

Com 71 anos e cinco décadas de carreira política, Schaeuble é um dos principais colaboradores de Merkel e considerado um dos principais artífices do aumento da austeridade e das reformas estruturais na zona euro.

No novo governo alemão, o presidente do Partido Social-Democrata (SPD), Sigmar Gabriel, será o novo ministro da Economia e Energia e vice-chanceler.

Os dirigentes do SPD vão ocupar seis ministérios, segundo o que ficou definido no acordo para formar Governo.

A pasta dos Negócios Estrangeiros será entregue ao líder do grupo parlamentar social-democrata, Frank-Walter Steinmeier, que já desempenhou o cargo na primeira legislatura de Merkel (2005-2009), também uma coligação de conservadores e sociais-democratas.

A secretária-geral do SPD, Andrea Nahles, terá a tutela do Emprego e Assuntos Sociais, e a atual tesoureira do partido, Barbara Hendricks, ocupará o Ministério do Meio Ambiente e Segurança Nuclear.

Manuela Schwesig, até agora ministra do Trabalho, Igualdade e Assuntos Sociais do estado federado de Mecklemburgo-Antopomerania, ficará responsável pelo Ministério da Família.

Heiko Maas, atual ministro da Economia no estado federado de Sarre, vai encarregar-se do Ministério da Justiça e Proteção do Consumidor.