O secretário de Estado do Turismo afirmou esta sexta-feira no Algarve que a tendência de preços baixos na hotelaria está a inverter-se, facto comprovado pelo aumento da ocupação e das receitas, registados este ano.

«O rendimento por quarto e os proveitos da hotelaria começaram a subir, o que significa que estamos a inverter essa política de baixo preço», afirmou Adolfo Mesquita Nunes, sublinhando que a política de baixos preços é o resultado do excesso de oferta.

Citado pela Lusa, o governante falava aos jornalistas à margem da sessão de abertura do 25.º Congresso Nacional de Hotelaria e Turismo do Algarve, que decorre até terça-feira num hotel de Albufeira.

Adolfo Mesquita Nunes acrescentou que a única forma de começar a ter preços mais altos é aumentando a procura, mostrando-se esperançado de que a inversão de preços registada este ano seja uma tendência que se mantenha.

O empresário André Jordan, ex-administrador da Quinta do Lago, defendeu durante o primeiro painel do congresso que a recuperação turística registada este ano no Algarve se deveu exclusivamente aos baixos preços praticados pelos hotéis.

«Não houve promoção, não houve marketing, [os turistas] foram à Internet e viram os preços», argumentou o empresário, atribuindo a subida das taxas de ocupação à política de preços.

O empresário deu como exemplo uma situação inversa, que está a acontecer em grandes cidades como Londres ou Nova Iorque, onde os preços dos quartos de hotel duplicaram, mas a ocupação se manteve em níveis elevados.

Durante o seu discurso, o secretário de Estado do Turismo classificou ainda de «caricato» que um governante apareça a «comentar dados que não são os seus», explicando que essa é a razão por que habitualmente não comenta os números do turismo.

Adolfo Mesquita Nunes argumentou ainda que turismo «não é só alojamento» e que é preciso «dar o salto para agigantar» a importância económica do setor, para não se continuar com esta «pedra no sapato».