O ministro da Economia, António Pires de Lima, considera ser «indesejável» para a economia portuguesa e para a recuperação económica aumentar os impostos em 2015.

Entrevistado no programa «O Estado da Nação», da TSF e «Diário de Notícias», Pires de Lima diz que a prioridade é inverter a tendência de aumento de impostos e que há no Governo algum desconforto com o atual nível do IRS.

«Nós tivemos de fazer um aumento substancial, enorme, de impostos ao nível do IRS, a receita cresceu 30% em 2013. E devo-lhe dizer que se há matéria em que, eu creio, o governo não se sente confortável, no sentido em que gostaria de inverter esta tendência de aumento de impostos, é em matéria do IRS», disse.

«Portanto, a prioridade para 2014, se existir espaço orçamental para que isso se verifique, isso não depende só do governo, a prioridade para 2014 eu diria que é inverter a tendência na reforma do IRS. E o próprio governo, como já se sabe, nomeou uma comissão da reforma do IRS que é suposto apresentar resultados já em julho deste ano», adiantou.