[notícia atualizada às 17:11]

A Comissão Europeia nega que já esteja a trabalhar num novo resgate a Portugal, em reação à manchete do jornal «Público» deste sábado, que refere que um segundo resgate está «parcialmente na mesa».

Aquele órgão da União Europeia desmente e diz que essa hipótese não está de maneira nenhuma em discussão.

«'Muito provável', 'praticamente inevitável' e mesmo 'largamente inevitável' foram os prognósticos ouvidos pelo PÚBLICO junto de várias fontes envolvidas no actual programa de assistência financeira a Portugal. No centro desta convicção está a constatação de que muito dificilmente Portugal reconquistará a confiança dos investidores para voltar a obter nos mercados o financiamento necessário ao funcionamento do Estado a partir do fim do actual programa de ajuda, em Junho de 2014», escreve o o jornal na edição deste sábado.

A Comissão Europeia negou este sábado perentoriamente que já esteja a trabalhar num novo resgate a Portugal, garantindo que o cenário de um novo pacote de ajuda financeira não está em cima da mesa, «nem parcialmente nem de qualquer outra forma», acrescenta a Lusa.

Reagindo a uma notícia hoje avançada pelo jornal Público, segundo a qual «Bruxelas já está a trabalhar em novo resgate a Portugal», e um novo pacote de ajuda financeiro é agora visto em Bruxelas «como o cenário mais provável», o porta-voz dos Assuntos Económicos disse à Lusa que essa informação é «absolutamente incorreta» e não corresponde ao ponto de vista da Comissão, pois o executivo comunitário está exclusivamente focado na implementação bem sucedida do atual programa de ajustamento.

«As discussões que decorrem em Lisboa (entre as autoridades portuguesas e a troika) estão exclusivamente focadas em garantir a implementação bem sucedida do programa acordado para Portugal, de modo a criar as condições para uma retoma económica sustentável e um regresso à criação de postos de trabalho», disse Simon O'Connor, negando que um novo pacote de empréstimos já esteja «parcialmente na mesa», como indica o jornal.

Nas últimas semanas, Governo e oposição têm trocado argumentos sobre a hipótese de um segundo resgate.

Mas, já hoje, o Ministério das Finanças veio dizer, em comunicado enviado às redações, que «o Governo está a trabalhar com os representantes da Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional no âmbito da atual missão em curso para garantir a sua conclusão com sucesso nos próximos dias», negando a existência de «negociações ou referências de qualquer tipo em relação a um segundo programa de resgate a Portugal».