O Presidente da República Portuguesa disse, durante uma visita ao Canal do Panamá, que, com o alargamento desta ligação entre o Pacífico e o Atlântico, Sines poderá tornar-se a «porta de entrada» de mercadorias na Europa.

«O Canal do Panamá, com a extensão que está em curso, vai passar a desempenhar um papel ainda maior no comércio e no investimento internacional, mas abre também novas potencialidades para Portugal, e em particular para o Porto de Sines», declarou Cavaco Silva aos jornalistas, com o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, ao seu lado, citado pela Lusa.

Segundo o chefe de Estado português, «sendo Sines um dos melhores portos de águas profundas da Europa, pode ser de facto a porta de entrada das mercadorias vindas da Ásia e vindas de algumas partes aqui da América Latina e da Austrália para a Europa».

À margem da XXIII Cimeira Ibero-Americana, que começa hoje na Cidade do Panamá, Cavaco Silva e Pedro Passos Coelho visitaram a eclusa de Miraflores, no lado do Pacífico do Canal do Panamá, juntamente com o ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Rui Machete.

Os três assistiram a uma exposição sobre o impacto que o alargamento desta ligação marítima poderá ter no Porto de Sines e sobre a expansão deste porto, feita pela PSA, empresa de Singapura que tem a concessão deste terminal português e também explora um terminal no Canal do Panamá.

«É um projeto de grande ambição, mas que nos deixa muito satisfeitos com as possibilidades futuras que Portugal l tem neste domínio da logística dos portos», comentou Cavaco Silva, referindo-se à expansão do Porto de Sines, que segundo a apresentação feita pela PSA pode aumentar de 300 para 1000 o número de trabalhadores deste terminal.

O Presidente da República referiu que nunca tinha estado antes no Canal do Panamá e lamentou não ter assistido à passagem de nenhuma embarcação pela eclusa de Miraflores, através da subida ou descida do nível da água, um processo que leva cerca de dez minutos.

«Imagino que funciona como as eclusas que temos no nosso rio Douro. Gostaria de ter visto passar aqui um dos navios de contentores, não é a hora adequada para isso, ficará para outra oportunidade», disse.