A importadora SIVA prevê que a venda de automóveis continue a crescer em 2018, mas “menos” do que no ano passado, devido ao segmento rent-a-car, disse hoje o administrador executivo, em Lisboa.

Pedro Almeida prevê a comercialização de 230 mil veículos este ano, depois de em 2017 esse número ter sido de 222 mil e em 2016 de 207 mil automóveis.

Na comparação entre 2016 e 2017 as vendas subiram 7,1%.

Para o menor crescimento nas vendas deste ano deverá contribuir a diminuição de compras pelo setor rent-a-car (aluguer de carros).

“O mercado cresceu 15 mil carros em 2017, 11 mil foram rent-a-car”, estimou Pedro Almeida, que, perante uma tendência de diminuição das taxas de utilização, prevê que em 2018 haja menos aquisições de carros novos pelos rent-a-car.

Os dados provisórios do ano passado divulgados hoje pela SIVA – Sociedade de Importação de Veículos Automóveis indicam ainda que as vendas de veículos movidos a energia alternativa mais do que duplicaram (+119%) na comparação com 2016. O total de 2017 deverá chegar aos 4.065 veículos.

No ano passado, a SIVA diminuiu 4,3% as vendas de veículos ligeiros, para um total de 30.171, tendo assinalado descidas na Volkswagen (VW) (-3,3% para 16.473 viaturas), Skoda (-20,8% para 2.280), VW comerciais (-14,5% para 1.790). A Audi aumentou 1,2% para 9.614 viaturas vendidas em 2017 face ao período homologo.

A SIVA integra o conjunto de empresas que constituem o Grupo SAG, para a distribuição das marcas do grupo Volkswagen no mercado português: Volkswagen, Audi, Bentley, Lamborghini, Škoda e Volkswagen Veículos Comerciais.