“Só o top 10 concentra cerca de 48,9% do total das vendas da indústria” de luxo, de acordo com o estudo anual ‘Global Powers of Luxury’ da Deloite.




Luís Belo, líder da indústria de Consumer Business da Deloitte, alerta que “alguns aspetos chave da indústria do luxo ficarão irreconhecíveis nos próximos anos”, uma vez que “o típico consumidor de luxo que viaja irá alterar o conceito de fronteiras nacionais, os consumidores ‘millennials’ vão representar uma percentagem significativa do volume de vendas de produtos de luxo e as forças competitivas derivadas da tecnologia vão continuar a transformar o setor a um ritmo mais elevado”.