O secretário de Estado Adjunto e do Orçamento, Hélder Reis, disse esta terça-feira no Parlamento que o Governo prevê arrecadar cerca de 66 milhões de euros em 2015 com a concessão da autoestrada da Beira Interior (A23).

OE2015: há 66 milhões de euros em medidas por explicar

Na análise preliminar à proposta de Orçamento de Estado para 2015, a Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO) identificou 66 milhões de euros de medidas pontuais relacionadas com concessões «ainda por explicar».

Segundo a Lusa, questionado sobre este alerta da UTAO na comissão parlamentar de Orçamento, Finanças e Administração Pública, o secretário de Estado respondeu que esse montante está relacionado com a concessão da A23, que liga Abrantes e a Guarda.

O diretor-geral da Scutvias (concessionária da A23) disse, no final de julho, que a negociação do Estado para a mudança de regime de concessão da autoestrada «deveria ser assinado em outubro” para entrar em vigor “até ao final do ano».

O novo regime de concessão prevê que toda a gestão dos custos operacionais fica a cargo e risco da concessionária, que passa a receber o valor das portagens.