Bruxelas concedeu uma linha de crédito de 1,6 mil milhões de euros para apoiar os bancos da Bulgária, depois de, devido a rumores infundados, ter havido uma correria aos depósitos.

Segundo a Comissão Europeia, a linha de crédito para o Estado é «proporcional e adequada à necessidade de garantir liquidez suficiente para o setor bancário, nas atuais circunstâncias».

O Executivo do país garante que o dinheiro pode responder aos «ataques especulativos que surgiram na semana passada», ao que tudo indica para causar uma crise financeira do país.