Portugal juntou-se esta quarta-feira à França, Alemanha e Polónia em defesa dos setores do leite e da carne de porco na União Europeia, anunciou o Ministério da Agricultura.

"Em causa está uma iniciativa que passa pela apresentação de propostas de solução para a crise. Trata-se de uma declaração avançada pela Alemanha, França e Polónia, que conta a partir de hoje com o apoio de Portugal", diz uma nota de imprensa emitida pelo Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural MAFDR).

Estes países reivindicam apoio financeiro da União Europeia para os produtores de leite e suínos que decidam não aumentar a produção, ajudando a reequilibrar o mercado europeu.

Na declaração conjunta é também defendido um aumento temporário das intervenções em leite em pó desnatado e em manteiga e o aumento do apoio financeiro ao setor para melhorar a liquidez das empresas de exploração leiteira.

"Outra das vertentes do documento prende-se com a atividade comercial, com a Comissão Europeia a ser desafiada a combater as práticas desleais, nomeadamente estabelecendo uma moldura legislativa que assegure um distribuição justa do rendimento ao longo da cadeia de valor", acrescenta o comunicado do MAFDR.

Relativamente à carne de porco, os quatro países estão de acordo quanto à necessidade de reativar os apoios à armazenagem privada no momento adequado.

Na declaração é ainda feita uma chamada de atenção relativamente a novas medidas de liberalização do mercado, recomendando precaução na adoção de políticas que possam vir a ter impacto no setor agrícola.

Os ministros signatários deste documento pretendem levá-lo a discussão na próxima reunião do Conselho de Agricultura, no Luxemburgo, nos dias 27 e 28 de junho.