Os presidentes da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, e do Conselho Europeu, Donald Tusk, anunciaram esta sexta-feira que a União Europeia colocou à disposição da Grécia dois mil milhões de euros provenientes de fundos europeus não utilizados.

Jean-Claude Juncker disse em conferência de imprensa, no final do Conselho Europeu, que os fundos, que poderão ser usados este ano, não servirão para socorrer as necessidades de tesouraria da Grécia, mas para «reforçar os esforços para o crescimento e a coesão social», sobretudo para fazer face ao elevado desemprego entre os jovens.

Este desembolso de emergência acontece depois de uma minicimeira realizada na quinta-feira à noite, à margem do Conselho Europeu, em Bruxelas.

No encontro restrito de líderes europeus, que durou mais de três horas e foi concluído já perto das 02:30 locais desta sexta-feira (01:30 de Lisboa), participaram, além da chanceler alemã, Angela Merkel, e do primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras (que se encontrarão de novo na próxima segunda-feira, em Berlim), o presidente francês, François Hollande, o presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi, o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, e o presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem, assim como o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, anfitrião do encontro.