A Zona Euro registou um excedente no comércio internacional de bens de 18,2 mil milhões de euros em julho, acima dos 13,9 mil milhões verificados no mesmo período de 2012, adianta o Eurostat.

De acordo com as primeiras estimativas do gabinete oficial de estatísticas da União Europeia, verificou-se também um excedente comercial na Zona Euro na comparação entre junho de 2013 e junho de 2012 (16,5 mil milhões de euros contra 12,8 mil milhões, respetivamente).

Já as exportações (corrigidas de variações sazonais) baixaram em julho deste ano 1,6% e as importações 0,1%, face ao mês anterior.

Na União Europeia (28 países) observou-se um excedente comercial de 10,4 mil milhões de euros, que comparam com os 1,3 mil milhões de euros verificados em julho de 2012.

No conjunto dos 28 Estados-membros, na comparação com o mês anterior, as exportações (corrigidas de variações sazonais) diminuíram 1%, enquanto as exportações aumentaram 0,3%.

A Alemanha registou o maior excedente comercial (98 mil milhões entre janeiro e junho de 2013), seguida pela Holanda (28 mil milhões), a Irlanda (18,6 mil milhões) e Itália (12,3 mil milhões).

Entre os países com maiores défices, entre janeiro e junho, estiveram a França (- 38 mil milhões), o Reino Unido (- 31,7 mil milhões) e a Grécia (- 9,7 mil milhões).

Portugal registou, no mesmo período, um défice de 4,1 mil milhões de euros, inferior, no entanto, aos 5,4 mil milhões de euros verificados em igual período do ano passado.

O Eurostat revela ainda que o défice da União Europeia no domínio da energia diminuiu (- 188,4 milhões de euros face a - 211,9 mil milhões verificados em 2012) e que houve um aumento no excedente de produtos manufaturados (195,7 mil milhões contra 164,3 mil milhões no ano passado).