O Governo espera que as contas das administrações públicas estejam equilibradas em 2018, um cenário mais otimista do que o dos credores internacionais, que preveem um défice de 1,4% nesse ano.

De acordo com o Documento de Estratégia Orçamental (DEO), o Governo prevê que o défice orçamental caia para os 2,5% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2015, tal como já estava previsto no âmbito do Programa de Assistência Económica e Financeira (PAEF).

Para 2016, o Executivo prevê um défice de 1,5%, uma estimativa mais otimista do que a do Fundo Monetário Internacional (FMI) aquando da 11.ª avaliação regular ao programa de resgate, que apontava para um défice orçamental de 2%.

Segundo as estimativas hoje apresentadas pelo Governo, 2017 será o último ano em que Portugal vai apresentar contas deficitárias (-0,7% do PIB), ainda que o FMI antecipe que o défice orçamental seja de 1,6% nesse ano.

Para 2018, o Governo já prevê que o saldo orçamental seja nulo, ao passo que o Fundo estima que Portugal se mantenha com défices orçamentais tanto em 2018 (-1,4%) como em 2019 (-1,2%).