Nos últimos 10 anos mais de 37 milhões de turistas passaram pela cidade de Lisboa, a maioria proveniente de Espanha, França e Brasil, gerando receitas para o setor hoteleiro superiores a cinco mil milhões de euros.

Segundo dados do Observatório do Turismo de Lisboa, desde 2004, ano em que se realizou em Portugal o Europeu de Futebol, até 2013 registou-se um aumento do número de turistas na capital, com exceção dos anos de 2008 e 2009, que coincidiram com o início da crise.

Em 2013, o número de turistas que pernoitaram em Lisboa foi de 4.328.655, dos quais 1.398.789 eram nacionais e 2.929.866 estrangeiros. Em 2004, o número de dormidas foi de 3.090.851.

Nesse ano registou-se um aumento de 5% do número de turistas que dormiram na cidade, face ao que ocorrera em 2012.

No que diz respeito aos mercados emissores de turismo para Lisboa, aquele tem sido o principal é a vizinha Espanha, ainda que com alguma retração nos últimos anos.

De França e do Brasil também têm chegado a Lisboa um grande número de turistas, sendo os dois países atualmente o segundo e o terceiro mercado emissor, respetivamente.

No caso do Brasil, foi a partir de 2010 que começou a ganhar maior expressão, superando atualmente os visitantes italianos e britânicos.

Para dar resposta a esta procura, o diretor-geral do Turismo de Lisboa, Vítor Costa, referiu à agência Lusa que está projetada a abertura de 14 novas unidades hoteleiras durante este ano e o próximo e que estão ainda mais oito sem obra iniciada ou inauguração prevista.

O aumento do número de turistas na cidade de Lisboa e do número de dormidas contribuiu para que existisse nos últimos dez anos um crescimento praticamente contínuo das receitas turísticas para as unidades hoteleiras da capital.

Segundo dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), as receitas provenientes da atividade turística foram em 2013 de 586.958.367 euros, o que representou um aumento de 8,3% face aos resultados obtidos no ano anterior. Em 2004 as receitas totalizaram 517.455.053 euros.

No total, desde 2004, o setor hoteleiro, entre hotéis, aldeamentos e apartamentos turísticos, arrecadou receitas de mais de cinco mil milhões de euros.

O aumento de turistas que visita a capital também pode ser aferido pelo crescimento do número de passageiros provenientes de voos internacionais que desembarcam no aeroporto de Lisboa.

De acordo com um estudo do Grupo Espírito Santo, o número de passageiros tem vindo a registar nos últimos sete anos um crescimento anual de quase 6%.

Os voos ¿low cost¿ têm sido aqueles que têm tido um maior crescimento relativo (mais de 20% ao ano).

Ainda de acordo com o mesmo estudo, também no movimento de passageiros de cruzeiros na região de Lisboa se tem verificado um aumento, registando-se um crescimento médio anual superior a 11%.

Mas Lisboa não é um caso isolado, a evolução do Porto em termos turísticos entre 2004 e os dias de hoje é tão grande que é quase «incomparável», segundo dirigentes associativos ouvidos pela Lusa, havendo um consenso de que há que consolidar os ganhos feitos.

«Foi justamente em 2004 que se deu o "boom" turístico na cidade, quando Portugal patrocinou o Euro 2004, e foi a partir daí que o Porto se começou a tornar num destino de turismo europeu porque nos demos a conhecer à Europa e a alguns mercados que descobriram uma região e cidade onde poderiam apostar como destino de lazer, de ferias e de negócios», disse à Lusa o presidente da Associação Portuguesa de Hotelaria, Restauração e Turismo (APHORT), Rodrigo Pinto Barros.

Por seu lado, o presidente da Associação de Comerciantes do Porto, Nuno Camilo, declarou que não é possível ficar-se apenas contente com o momento positivo atual, muito devido a companhias aéreas de baixo-custo como a Ryanair, sendo necessário fazer mais, em particular nos subsetores do turismo de negócios e de saúde.