As deslocações turísticas dos residentes em Portugal diminuíram 3,6% no último trimestre de 2013, face ao mesmo período de 2012, e 85,8% das dormidas dos que viajaram foram feitas em «alojamento particular gratuito», divulgou hoje o INE.

Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), entre outubro e dezembro os residentes no país efetuaram 3,89 milhões de deslocações turísticas, tendo as viagens de «lazer, recreio ou férias» aumentado 3,6%, em detrimento da «visita a familiares ou amigos», que recuaram 6,7%, mas continuaram a ser o principal motivo para viajar (61,1% do total das viagens, contra 25,9% do lazer e férias).

A diminuição no número de viagens realizadas afetou apenas as deslocações em Portugal (-4,0%), já que o destino «estrangeiro» (cerca de 329 mil deslocações; 8,5% do total) registou um ligeiro incremento de 0,3%.

De acordo com o INE, 44,8% das deslocações ao estrangeiro destinaram-se a «visita a familiares ou amigos», enquanto o «lazer, recreio e férias» representou 28,0% das deslocações para o exterior e as motivações «profissionais ou de negócios» abrangeram 25,9%.

O automóvel foi o meio de transporte utilizado em 82,8% das deslocações, contra apenas 7,5% do modo aéreo, e o meio de alojamento preferido foi o «alojamento particular gratuito», utilizado em 85,8% das dormidas nas viagens turísticas dos residentes (72,8% no 3.º trimestre de 2013).

No 4.º trimestre do ano passado, 8,5% dos residentes em Portugal efetuaram pelo menos uma deslocação turística (8,8% no 4.º trimestre de 2012), número que subiu para 12,4% (13,1% em dezembro de 2012) no mês de dezembro.

De acordo com o INE, no último trimestre de 2013 51,3% dos turistas eram mulheres, 31,4% tinha entre 25-44 anos e 30,5% entre 45-64 anos, destacando-se o aumento do peso relativo do escalão de 65 ou mais anos (+2,1 p.p. face ao mesmo período de 2012).

O decréscimo global de 3,6% registado nas deslocações turísticas resultou das reduções observadas em outubro (-4,5%) e dezembro (-7,1%).

Em 20,7% das viagens turísticas no 4.º trimestre de 2013 ocorreu uma marcação prévia, nomeadamente do transporte e/ou alojamento, tendo sido contratada uma agência de viagens ou operador turístico em 3,7% do total de deslocações.

Nas deslocações para o estrangeiro a sua intervenção ocorreu em 25,2% dos casos e nas deslocações domésticas em 1,8%.

O INE destaca o «aumento significativo» do recurso à Internet para marcação das deslocações para o estrangeiro (de 47,1% no 4.º trimestre de 2012 para 56,7% no 4.º trimestre de 2013).

Quanto à distribuição das deslocações turísticas pela respetiva duração, foi idêntica à do 4.º trimestre de 2012, com as deslocações de curta duração (até três noites) a representarem 78,7% e as de longa duração (quatro e mais noites) os restantes 21,3% de deslocações.