Os empresários da hotelaria estão otimistas quanto ao desempenho do setor este ano, segundo um inquérito efetuado pelo Gabinete de Estudos e Estatísticas da Associação da Hotelaria de Portugal (AHP) divulgado quarta-feira.

No inquérito levado a cabo pela AHP, conclui-se, em traços gerais, que os empresários esperam um crescimento em todos os indicadores de desempenho do setor (exceto alimentação e bebidas), com um incremento previsível da procura externa e uma sazonalidade marcada, como já vem sendo hábito. Ou seja, «espera-se que os melhores meses de exploração venham a ser para o período de julho a setembro, reação que segue o comportamento ocorrido em 2013, testemunho da sazonalidade do destino Portugal».

Apesar da quebra, o mercado português está em primeiro lugar nas perspetivas de mercados emissores para 2014 em todas as regiões, exceto na Madeira, onde os mercados inglês, escandinavo e alemão lideram a ordem de estimativa, e em Lisboa, que prevê que o mercado espanhol apareça à frente do português.

O inquérito foi realizado entre 16 de dezembro de 2013 a 10 de janeiro de 2014, contou com uma amostra de 28% e das respostas obtidas, 84% pertencem a Hotéis, 8% a Hotéis apartamentos, 2% a Aldeamentos Turísticos, 2% a Apartamentos Turísticos, 1% a Pousadas e 3% a Outros.

Já numa análise aos resultados de 2013, o 'AHP Tourism Monitor' conclui que o «RevPar [receita por quarto disponível] subiu à custa da taxa de ocupação e não do preço». No ano passado, a taxa de ocupação por quarto subiu 4,4%, o preço médio por quarto vendido aumentou 0,96% e o RevPar 5,43%.

Para além de Portugal, com 28% de quota, houve uma concentração em três principais mercados emissores: Reino Unidos (16,99%), Alemanha (8,71%) e Espanha (8,21%).

No entanto, os mercados apontados como tendo uma pior

performance em 2013 foram o espanhol e o português. No sentido inverso o mercado francês teve uma melhor performance para 51% dos inquiridos.

Os principais destinos turísticos, em termos de concentração regional das dormidas, foram a Madeira (69,06%), Lisboa (68,17%) e o Grande Porto (59,22%).

Segundo os dados estatísticos da AHP, em 2013, o principal motivo para as dormidas nos hotéis nacionais continuou a ser as viagens em lazer, recreio e férias com 84,13%. Já as viagens em negócios/profissionais tiveram um peso de 11,53%.

Já o preço médio por quarto ocupado, em termos de concentração regional das receitas foi: Estoril (75,55 euros), Lisboa (75,14 euros) e Algarve (73,80 euros). No que diz respeito ao RevPar, Lisboa apresenta-se com 51,22 euros, Estoril 42,34 euros e o Algarve 42,18 euros, referem.

No ano passado, a sazonalidade no setor manteve-se, com Agosto a ser sempre o melhor mês para a hotelaria. Os três piores meses foram janeiro, dezembro e fevereiro.

A AHP concluiu ainda que houve um «abrandamento da oferta hoteleira», com mais 51 estabelecimentos.