O secretário de Estado do Turismo, Adolfo Mesquita Nunes, afirmou esta quinta-feira em Setúbal que o Governo tem procurado criar condições para que as pequenas empresas participem na criação de novos produtos turísticos relacionados com a animação marítimo-turística.

"Tenho-me focado muito na necessidade de criar condições para que as pequenas empresas possam fazer do mar um produto turístico, que seja suficientemente atrativo para que traga cá pessoas que justifiquem novos investimentos", disse.

"Há necessidade de demonstrar que a atividade da animação marítimo-turística, quando é compatível com o recurso hídrico e com o ambiente, gera riqueza e traz turistas", acrescentou Adolfo Mesquita Nunes, que falava à Lusa depois de participar na sessão de abertura do seminário internacional - Cidades Portuárias e a Relação Porto-Cidade, no Fórum Luísa Todi, em Setúbal.

No seminário, incluído no programa da Semana do Mar que decorre em Setúbal até ao próximo domingo, o secretário de Estado do Turismo salientou também a necessidade de um entendimento da comunidade setubalense sobre a forma como pretende aproveitar o mar, enquanto recurso turístico, a procura que quer atingir e os investimentos necessários para o efeito.

O entendimento entre dois dos principais atores locais com responsabilidade na criação de condições para as atividades turísticas na região - a Câmara Municipal de Setúbal e a APSS, Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra -, tem sido uma constante ao longo dos últimos anos, tanto na recuperação da frente ribeirinha como na definição de prioridades de investimento neste domínio.

Segundo a presidente da Câmara de Setúbal, Maria das Dores Meira, uma das prioridades definidas por um grupo de trabalho, constituído por responsáveis da autarquia e da APSS, é a melhoria da articulação de Setúbal com o Pólo Turístico de Tróia e com o Litoral Alentejano, através da construção de uma plataforma intermodal de transportes rodoviários, ferroviários e fluviais, com estacionamento automóvel.

O desenvolvimento da náutica de recreio e turismo náutico, bem como a construção de um terminal de cruzeiros e de uma marina em Setúbal, foram outras prioridades referidas pela autarca setubalense.

Ideias partilhadas pelo presidente da APSS, Vítor Caldeirinha, que se referiu ao terminal de cruzeiros e à marina como "dois projetos-âncora" para o aproveitamento das potencialidades turísticas da região de Setúbal.