Portugal está na moda e o período da Páscoa convida a uma escapadela de lazer. Os hotéis estão quase cheios e superam as expectativas que o sector da hotelaria tinha em março em matéria de ocupação para esta época. Os turistas são portugueses mas há, sobretudo, espanhóis e franceses.

No início de março, a Associação da Hotelaria de Portugal (AHP) inquiriu os seus associados e 56% acreditava que a performance da hotelaria na Páscoa de 2017 seria melhor face a 2016. Porém, tudo indica que estas perspetivas iniciais sejam ultrapassadas. Inquiridos esta segunda-feira pela AHP, “vários hoteleiros associados apontaram um crescimento generalizado na ocupação, estando várias das unidades auscultadas já lotadas este fim-de-semana”, disse fonte oficial da AHP à TVI24.

Os hoteleiros dos destinos com performances tradicionalmente mais fortes no período de Páscoa, como Lisboa, Algarve e Madeira, referem taxas de ocupação a ultrapassar os 90%.No entanto, o aumento da ocupação no período de Páscoa evidencia-se em todo o território. De acordo com o testemunho de hoteleiros associados, na cidade do Porto a taxa de ocupação ronda os 98%, nos Açores, particularmente na ilha de São Miguel, atingem-se valores próximos dos 100%.

Em declarações escritas à TVI24, a presidente da direção executiva da AHP, Cristina Siza Vieira, referiu que: “O facto de esta ser uma Páscoa mais tardia e, portanto, previsivelmente mais solarenga, traz também um importante aumento da procura, isto porque o mês de abril, onde a Páscoa se insere este ano, é naturalmente mais forte para a hotelaria”. Adiantando: “A operação ainda não fechou e existe o fator last minute, pelo que estes resultados têm tendência para melhorar. No entanto, aguardaremos o fecho de abril para confirmação desta tendência”.

Com maior procura veem preços mais elevados, também na comparação com os que se praticaram neste período do ano passado.

Cerca de 24% dos hóspedes são portugueses

A nível nacional, e de acordo com o inquérito realizado pela AHP aos seus associados, os principais mercados emissores continuam a ser os tradicionais: 24% dos hóspedes da hotelaria em período de Páscoa são portugueses, “resultado da recuperação económica e do aumento histórico da confiança dos consumidores, estimulando o consumo privado”.

Espanha é o segundo mercado emissor, seguido de França (com 22% e 13% dos hóspedes, respetivamente). O Reino Unido ocupa o quarto lugar da tabela com 11%.

Da auscultação aos hoteleiros, é de realçar ainda o crescimento de mercados não tradicionais, em particular no Algarve, com os mercados francês, italiano e escandinavo; no Porto com um aumento do mercado alemão e britânico; e em Lisboa dos mercados brasileiro e norte-americano.