As dormidas na hotelaria cresceram 9,6% no primeiro semestre, para 25,3 milhões, principalmente devido aos não residentes, com mais 11,6%, enquanto os proveitos subiram 18,9%, atingindo 1,4 mil milhões de euros, divulgou hoje o INE.

"No 1.º semestre de 2017 as dormidas de residentes aumentaram 4,3% e as de não residentes cresceram 11,6%", aponta o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Em junho, a hotelaria registou 2,1 milhões de hóspedes e 5,9 milhões de dormidas, correspondendo a subidas de 8,5% e 8,0%, respetivamente (7,0% e 6,5% em maio).

O mercado interno recuou 0,2% em junho, interrompendo a tendência crescente (mais 3,8% em maio), enquanto os mercados externos aceleraram (11,2% face a 7,2% em maio), aponta o INE.

Os proveitos continuaram a aumentar, com um acréscimo de 18,3%, em nível semelhante ao do mês anterior (18,5%), tendo atingido 350,4 milhões de euros.

A estada média (2,89 noites) decresceu 0,5% e a taxa de ocupação-cama (61,3%) aumentou 3,8 pontos percentuais.