O número de portugueses que este ano vão ficar em casa nos período de Natal e Ano Novo, sem passarem férias fora, aumentou 5,9%, para 93,4% do total, revela esta terça-feira um inquérito realizado pelo IPDT.

Dos 6,6% de inquiridos que vão de férias, 84,8% preferem ficar no país, indicam os dados divulgados pelo IPDT-Instituto de Turismo, que realizou um estudo sobre a intenção de férias da população de Portugal Continental para o Natal e Ano Novo.

Quanto às regiões, o Porto e o norte são os destinos mais procurados pelos portugueses que vão passar alguns dias fora de casa, mas em território nacional, sendo a opção para quase um terço (32,1%) – mais do que os 30,9% registados em 2013. Outros 25% dos inquiridos vão viajar para o Algarve, menos do que os 33,6% relativos a 2013.

Quanto a quem optou por não ir para fora de casa, a maior fatia (45,5%) fez essa escolha por motivos de ordem financeira e outros ligados à crise económica, como a perda do emprego ou os cortes nas pensões, indicam os dados divulgados pelo IPDT. Outros 43,5% não passam dias fora por terem de ir trabalhar.

«O estudo indicia ainda uma intenção de maior consumo em férias no período de Natal, quando comparado com o ano passado», revela o instituto. Mais de um quarto dos inquiridos que vão pernoitar fora de casa (27,3%) consideram que vão gastar mais nessa altura do que sucedeu na mesma altura de 2013, e 27% preparam-se para uma estadia fora de casa mais longa do que há um ano.

O inquérito agora divulgado realizou-se entre 09 e 27 de novembro de 2014, via telefónica para lares com telefone fixo, em Portugal continental e com sujeitos com 18 ou mais anos, tendo-se obtido 500 entrevistas válidas, indica também o IPDT.

O estudo realizado pelo instituto estendeu-se às férias que estão a ser planeadas para 2015, concluindo que apenas 25,6% dos inquiridos tencionam passar férias fora de casa no próximo ano.

Esta é uma percentagem bem menor do que aqueles que o fizeram em 2014, que ascende a mais de metade (54,4%).

«A intenção [para 2015] é relativamente baixa, o que aponta para alguma apreensão dos portugueses em relação às férias do próximo ano», nota o IPDT.


O inquérito mostra ainda que quase um terço dos participantes no questionário (32,9%) vão optar por uma casa alugada para as férias de 2015, seguindo-se a possibilidade de uma segunda residência (14,8%) ou a casa de familiares ou amigos (13,3%).

«O consumo médio global apontado pelos inquirido será de 998 euros em 2015, um valor superior ao indicado em 2014 (793 euros), embora com consumos unitários por pessoa e/ou noite semelhantes», informa também o instituto.


A recolha de dados para este inquérito realizou-se também entre os dias 09 e 27 de novembro de 2014, através de um questionário por telefone para lares com telefones fixos, em Portugal continental, e com sujeitos com mais de 18 anos a darem as respostas.