multimilionário George Soros afirma que a probabilidade da Grécia sair da zona euro a esta altura de negociações é de 50%. Para o empresário, a principal causa é a má gestão da economia do país.

O homem de 84 anos que fez a sua fortuna com investimentos e é agora o 29º empresário mais rico do mundo, segundo a Forbes, e vê a situação da nação helénica como um jogo em que ninguém pode ganhar.

«O problema da Grécia tem vindo a avolumar-se e foi mal gerido desde o princípio por todos os partidos», disse Soros em declarações à televisão Bloomberg. Para o investidor, o país está muito perto de ir «pelo cano abaixo».

O novo primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, tem tentado chegar a acordo com os credores europeus sobre o programa de austeridade imposto no país, mas tem encontrado resistência por não corresponder às exigências de Bruxelas. Soros teme que as negociações sem sucesso possam resultar na implosão da economia grega e na saída da zona euro.

«Podem empatar a situação indefinidamente» pagando juros sem abater a dívida, afirma Soros, «mas enquanto isso não haverá excedentes».
 
Após o primeiro encontro bilateral entre o chefe do executivo grego Tsipras e a chanceler alemã Merkel nesta segunda-feira, e numa altura em que é revelado que a Grécia tem dinheiro apenas para mais algumas semanas, o diálogo entre os países mantém-se. A Grécia voltou a reiterar  o compromisso de respeitar os acordos europeus.