“Os credores devem saber que vamos cumprir o acordo à letra, mas isso não significa que iremos ceder a exigências irracionais e injustas”, afirmou Tsipras numa entrevista publicada hoje pelo jornal grego Real News.

Segundo o primeiro-ministro da Grécia, não há compromisso “de que o dinheiro venha exclusivamente a partir de cortes nas pensões”, até porque o acordo com os credores “prevê a possibilidade de medidas equivalentes” já postas em marcha.