A União Europeia lançou um «ultimato» à Grécia. O país tem três dias para assegurar aos seus credores que pode cumprir as condições associadas ao resgate internacional, a fim de receber a próxima tranche da ajuda. Caso contrário, «Atenas terá de enfrentar consequências».

A notícia está a ser veiculada pela agência Reuters, que cita quatro responsáveis europeus, que garantem que se a Grécia quiser receber o próximo cheque no valor de cerca de oito mil milhões de euros terá de apresentar garantias nos próximos dias.

«Há uma insatisfação geral com o progresso da Grécia quando se trata de reformar o setor público, fiscal ou serviços de saúde», disse um dos funcionários da UE.

Outro dos responsáveis disse que a Grécia precisa dar provas até ao final desta semana, antes da reunião do Eurogrupo marcada para a próxima segunda-feira.

A Grécia e os credores internacionais retomaram ontem as discussões que permitem liberar 8,1 mil milhões de euros no âmbito do programa de resgate, depois de uma interrupção de duas semanas devido ao encerramento da TV estatal grega ERT, que quase levou ao colapso do governo.

Se as discussões falharem, o Fundo Monetário Internacional (FMI) pode ter que vir a retirar o resgate à Grécia para evitar «violar» as suas próprias regras. Atenas também precisará resgatar cerca de 2,2 mil milhões de euros em títulos em agosto.