A União Europeia pode empurrar Portugal para uma saída da troika à irlandesa. A resistência em dar um programa cautelar pode vir dos países do norte da Europa. O Governo diz que ainda não decidiu o que vai fazer e assume que não tem preferência.

Mas a questão não é o que quer o Governo, mas sim o que a União Europeia está disposta a dar.

Os países do norte como a Alemanha, Holanda e Finlândia podem não ver com bons olhos a ideia de dar mais dinheiro, ainda que sob a forma de um seguro, a um país do sul da Europa.

O Governo só deverá tomar uma posição em abril.

Mesmo que a preferência do Governo seja um cautelar, a Europa pode forçar Portugal a uma saída limpa, até porque em maio a prioridade é o eleitorado.

A Irlanda também estava a negociar um programa cautelar e em cima da hora surpreendeu com uma saída sem apoio financeiro.

Fontes governamentais disseram ao «Expresso» que se a Europa impuser uma saída limpa a Portugal terá que dar uma garantia que o BCE intervém se alguma coisa correr mal. Esta pode ser a solução a meio caminho entre o programa cautelar e a saída sem rede.