«O Sr. Vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, na quinta-feira passada usou da hipocrisia em dizer que não havia mais cortes», afirmou hoje Fernando Martins da «Apre - Associação de aposentados, pensionistas e reformados».

Os reformados consideram estes cortes nas pensões de sobrevivência uma «tortura fiscal inaceitável».