O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, afirmou hoje que «não há novidades» nas notícias sobre as medidas a aplicar pelo Governo sobre o corte definitivo nas pensões.

À margem da apresentação dos candidatos da Aliança Portugal às eleições Europeias, também o vice-primeiro-ministro, Paulo Portas disse que «não são novidades» e que «o Governo está a prepara a saída da troika».

A polémica sobre os cortes nas pensões regressa à atualidade após se tornar conhecido o acordo entre o Governo e a Comissão Europeia sobre como serão aplicados esses cortes. De acordo com um documento a que a TVI teve acesso, estes serão feitos de acordo com critérios económicos e demográficos. Mas este é apenas um dos pontos que constam de um longo compromisso, escrito, entre a Comissão Europeia e o governo.

Arménio Carlos disse na tvi24 que as medidas estão a obrigar os jovens portugueses a emigrar e vão, agora, penalizar os que cá ficam. Líder da CGTP acredita que é o Governo que está a destruir a economia, insistindo na ideia que está em marcha um retrocesso social inimaginável há uns anos atrás. Para o secretário-geral da CGTP isso significa o aumento da idade da reforma ou uma penalização do valor.

Também o PS já veio acusar, de novo, o Governo de ter «uma agenda escondida» e de ter «preparados cortes que não está a divulgar aos portugueses» em relação à nova fórmula de cálculo das pensões, comentando um documento da Comissão Europeia.