As pensões de sobrevivência, também conhecidas como pensões de viuvez, vão sofrer um corte a partir de janeiro do próximo ano. A informação está a ser avançada pela rádio «TSF».

De acordo com a mesma notícia a medida foi assumida pelo Governo, durante a 8ª e 9ª avaliações da troika. Esta será uma das várias medidas, em carteira, para compensar os chumbos do Tribunal Constitucional e a não aplicação da TSU dos pensionistas.

A TSF, que teve acesso a um dos memorandos assinados com a troika, diz que o corte previsto é de 4%. O governo liderado por Passos Coelho quer poupar 100 milhões de euros com esta medida.

A informação foi «confirmada» à rádio por fontes do executivo. Os cortes serão progressivos, atingindo sobretudo as pensões mais altas.

O secretário de Estado das Finanças, Manuel Rodrigues, presente no Fórum Empresarial do Algarve, a decorrer em Vilamoura, ignorou as perguntas dos jornalistas quando foi confrontado com os cortes hoje conhecidos.

Entretanto, o deputado do PS, Pedro Marques, já veio pedir explicações ao Governo sobre cortes previstos nas pensões de viuvez em 2014, considerando a medida «inaceitável» e «de enorme indignidade».