A ministra do Estado e das Finanças, Maria Luís Albuquerque, recusou hoje em Washington comentar o Orçamento do Estado para o próximo ano antes do Conselho de Ministros deste domingo.

«Não vou falar desse tema em Washington e antes da última discussão em Conselho de Ministros», disse a ministra à agência Lusa, quando questionada sobre a intenção do governo de cortar nas pensões de sobrevivência, à margem da reunião anual do Banco Mundial e do Fundo Monetário Internacional, em que hoje participou.

Na quinta-feira, a diretora-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, afirmou que Portugal tem «uma dificuldade particular», que é «a visão do Tribunal Constitucional sobre o que é ou não constitucional» e defendeu a necessidade de «mais tempo» para o cumprimento das metas orçamentais.

A ministra também recusou comentar essas declarações, justificando que «não foi esse o tema» da sua intervenção, num painel que contou com a presença do membro do Conselho Executivo do Banco Central Europeu (BCE) Joerg Asmussen e do secretário do Tesouro da Austrália, Martin Parkinson.

«Não discuto questões orçamentais dois dias antes da apresentação [do Orçamento do Estado]», reiterou Maria Luís Albuquerque.

No painel, a ministra sublinhou a «relevância das decisões que são tomadas ao nível global para países como Portugal, que estão em processo de ajustamento, e que precisam de um ambiente competitivo global e de regras claras.»

Maria Luís Albuquerque está acompanhada pela secretária de Estado do Tesouro, Isabel Castelo Branco, que a substituirá no domingo, devido à participação da ministra no Eurogrupo (reunião dos titulares da pasta das Finanças da zona euro), que decorre no Luxemburgo.