Angela Merkel disse esta quarta-feira que qualquer decisão sobre um novo pacote de ajuda financeira à Grécia só será tomada no próximo ano ou em 2015, suportando as declarações de terça-feira do ministro das Finanças alemão.

«Fizemos progressos, mas a crise não acabou», afirmou a governante, durante um evento de campanha eleitoral na cidade alemã de Schwaebisch Gmuend, acrescentando que a decisão sobre um terceiro resgate à Grécia será tomada em 2014 ou no ano seguinte.

A chanceler considerou ainda que as declarações de terça-feira do ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schäuble, acerca da necessidade de haver um novo programa de assistência financeira à Grécia não trouxeram qualquer novidade.

«O que Schäuble disse sobre a Grécia ontem [terça-feira], toda a gente sabia», afirmou Merkel, de acordo com a agência de informação financeira Bloomberg.

O ministro alemão das Finanças declarou que vai haver um novo programa de ajuda financeira para a Grécia, o que levou a um desmentido imediato por parte do Governo de Atenas.

Schäuble afirmou, durante uma iniciativa de campanha eleitoral perto de Hamburgo, que «a Grécia vai ter necessidade de um novo programa», acrescentando ainda que tal já havia sido afirmado perante a opinião pública.

Poucas horas depois, o ministro grego das Finanças, Yannis Sturnaras, reagiu ao governante alemão ao desmentir a necessidade de um novo resgate financeiro.

Hoje, o responsável do Banco Central Europeu (BCE), Joerg Asmussen, afirmou numa visita a Atenas que o Eurogrupo está decidido a ajudar a Grécia a ultrapassar a crise, e que não está em cima da mesa um terceiro pacote de ajuda financeira.

«O Eurogrupo está comprometido em ajudar a Grécia, mas não foi discutido um terceiro pacote de ajuda para o país», afirmou Asmussen aos jornalistas, depois de se ter encontrado com o ministro grego das Finanças, Yannis Stournaras, em Atenas.

O membro alemão do conselho executivo do BCE disse, segundo a agência Bloomberg, que as atenções estão agora concentradas em assegurar que o atual programa de assistência seja um sucesso, possibilitando a retoma da economia grega e dinamizando o mercado de trabalho.