Os membros do Conselho de Governadores do Banco Central Europeu (BCE) estão divididos quanto à possibilidade de se cortar a taxa de juro de referência na Zona Euro, que atualmente se encontra em mínimos históricos de 0,5%. Isto porque têm surgido dados macroeconómicos que apontam para uma recuperação da economia da zona euro.

A dúvida surge numa altura em que a autoridade monetária se prepara para atualizar previsões no próximo mês.

Reunidos em Jackson Hole, os responsáveis revelaram, citados pela Bloomberg, que só estão à espera dos dados que serão revelados esta semana pela Comissão Europeia - que, tudo indica, deverá apontar para uma confiança no Bloco ao nível mais elevado desde março de 2012.

No encontro - que junta anualmente banqueiros centrais de todo o mundo - o responsável pela Autoridade Monetária no Chipre, Panicos Demetriades, disse que «não podemos excluir a possibilidade de um novo corte de juros, embora tenhamos que olhar para os novos dados, que são mais encorajadores». Por outro lado, o Governador do Banco da Áustria, Ewald Nowotny, assegurou que não vê «muitos argumentos para um novo corte de juros» depois do recente «filão de boas notícias».

É que a economia da zona euro emergiu da mais longa recessão ao registar um crescimento em cadeia de 0,3% no segundo trimestre.