Portugal está numa trajetória de recuperação da sua dívida externa e já não está a viver acima das suas possibilidades, afirmou hoje o secretário de Estado Adjunto e da Economia, durante o Fórum Empresarial do Algarve.

Durante o encerramento da sessão desta manhã onde foi debatido o futuro dos países do sul da Europa, Leonardo Mathias destacou os bons resultados que as empresas portuguesas estão a apresentar ao nível das exportações de bens e serviços.

Afirmações atestadas com os dados económicos oficiais que dão conta de um crescimento das exportações portuguesas que, durante o segundo trimestre deste ano, representaram 41 por cento do PIB (Produto Interno Bruto).

Leonardo Mathias frisou que esta aposta na exportação e diversificação das empresas portuguesas está a alargar-se à economia global e não se cinge tanto ao universo europeu.

«Quem diria há três ou quatro meses que Portugal iria ter estes níveis de crescimento», disse aquele representante do Governo, reportando-se aos resultados económicos portugueses que dão conta de um crescimento de 1,1 por cento do PIB baseado no crescimento das exportações, na estabilização da procura interna e na redução da taxa de desemprego que passou de 17,7 por cento para 16,4 por cento.

«As boas notícias são sempre relativas enquanto houver desemprego», disse o secretário de Estado Adjunto parafraseando Durão Barroso que participou no Fórum Empresarial do Algarve que decorre até domingo, em Vilamoura.

Os números apresentados pelo secretário de Estado indicam que em 2012 as exportações portuguesas para clientes não europeus atingiram os 29 por cento do total de exportações, enquanto em 2000 estavam nos 17,8 por cento.

Dados que levaram Leonardo Mathias a concluir que o país está numa reta de recuperação de competitividade nacional.