O ministro da economia disse esta sexta-feira que concorda com redução do IVA na restauração para 13% mas que nada pode fazer quanto a essa matéria.

Isto porque, de acordo com o próprio, o orçamento e a troika não deixam. Mesmo assim, Pires de Lima garante que não mudou de opinião.

Quanto ao sector do turismo, acrescentou, «apresenta um crescimento da ordem dos 10 por cento no primeiro semestre do ano», disse em visita à fábrica da Vista Alegre, em Ílhavo.

Há um mês no Governo, o ministro da economia tem motivos para sorrir. É que foi divulgada recentemente uma recuperação económica que surge agora à boleia dos números conhecidos da atividade turística em Portugal.

Anunciar a redução do IVA da restauração para 13 por cento seria, assim, a cereja em cima do bolo.

A vista à fábrica da vista alegre em Ílhavi foi o melhor cenário para o anúncio dos bons resultados do sector turístico. Só aqui vão ser investidos mais de 14 milhões de euros até 2015 num hotel de cinco estrelas, recuperação da capela e a requalificação do museu, num projeto da Visabeira que prevê a criação de mais de 100 postos de trabalho.