A primeira manhã de greve na Soflusa, responsável pelas ligações fluviais Barreiro/Lisboa, regista hoje uma adesão de 100%, sem que nenhuma carreira tivesse sido efetuada, segundo o Sindicato dos Transportes Fluviais.

Os trabalhadores da Soflusa iniciaram na madrugada de hoje uma greve parcial de sete dias, que vai afetar diariamente as ligações entre Barreiro e Lisboa nas horas de ponta.

Segundo disse à agência Lusa o dirigente sindical Carlos Costa, na primeira madrugada de greve «todos os navios estiveram parados», com uma adesão de 100% à paralisação.

A Lusa tentou contactar a Soflusa sobre esta paralisação, mas tal não foi ainda possível.

As ligações devem regressar à normalidade hoje pelas 10:40, depois de os últimos barcos terem partido do Barreiro domingo, à 01:30 e de Lisboa à 02:00.

No período da tarde de hoje, o último barco é o das 16:25, com as ligações a serem retomadas às 20:55, situação que repete no próximo sábado, dia 09.

Já em relação aos dias de semana, de 04 a 08 de novembro a última ligação vai ocorrer à 01:30, no sentido Barreiro/Terreiro do Paço, e às 02:00 no percurso inverso, com a ligação a regressar à normalidade a partir das 10:40.

Neste período da manhã, os serviços mínimos preveem que sejam realizadas duas carreiras, às 06:30 e às 07:30, ambas no sentido Barreiro/Terreiro do Paço.

No período da tarde, a última carreira será às 16:30 no sentido Barreiro/Terreiro do Paço e às 16:15 no sentido inverso, com as ligações a serem retomadas a partir das 19:40.

Também no período da tarde se vão realizar duas ligações de serviços mínimos, às 17:00 e 18:00, ambas no sentido Terreiro do Paço/Barreiro.

Os trabalhadores da Soflusa estão contra os impactos do novo regime jurídico do setor público empresarial, considerando que vão sofrer um redução salarial de cerca de 100 euros.