O Fundo Europeu de Estabilidade Financeira (FEEF) transferiu esta quarta-feira 2.500 milhões de euros para a Grécia para financiamento orçamental e pagamento do serviço da dívida.

Os fundos foram transferidos em numerário e o empréstimo tem uma maturidade de 35 anos, escreve a Lusa.

«No seguimento da adoção de todas as 22 ações prioritárias pela Grécia, a direção do FEEF decidiu que os 2.500 milhões de euros podiam agora ser transferidos», afirmou Klaus Regling da direção do FEEF.

Esta transferência de 2.500 milhões de euros corresponde à primeira tranche da quinta ajuda do FEEF à Grécia.

A Grécia já recebeu do FEEF 133,04 mil milhões de euros de um total acordado de 144,6 mil milhões de euros.

O FEEF, criado a 7 de junho de 2010, tem como objetivo preservar a estabilidade financeira da União Económica e Monetária Europeia através do fornecimento de assistência financeira aos Estados membros da zona euro em dificuldades.

Paralelamente, o fundo de resgate permanente, Mecanismo Europeu de Estabilidade (MEDE), também transferiu hoje para Atenas 1.500 milhões de euros procedentes dos benefícios que os bancos centrais da zona euro obtiveram com a compra de dívida grega, explicou Regling, também responsável do MEDE.

«A transferência de 1.500 milhões de euros do programa de compra de títulos de dívida demonstra a solidariedade adicional dos Estados membros da zona euro com os gregos, que se estão a fazer esforços consideráveis para superar a crise», afirmou Regling.

Por outro lado, o fundo Monetário Internacional (FMI) aprovou na segunda-feira um novo desembolso para a Grécia no valor de 2.290 milhões de dólares.

A 8 de julho, a zona euro e o FMI aprovaram uma nova ajuda de 6.800 milhões de euros para a Grécia, mas decidiram fracionar o pagamento em três fases até ao outono e vincular as entregas ao cumprimento prévio de medidas já acordadas.